Faleconosco: (11) 4575-1000 - Whatsapp (11) 97111-0177 - PLANO DE SAÚDE INDIVIDUAL E EMPRESARIAL

São aquelas que o cliente já tenha conhecimento na ocasião da contratação do plano de saúde e, caso ocorra omissão na declaração de saúde, a operadora do plano de saúde tem o direito de reincidir o contrato.

Todo contrato de plano de saúde tem uma determinada parte chamada declaração de saúde, onde o cliente deve indicar se tem ou já teve alguma doença como por exemplo diabetes, miopia, cirurgias realizadas ou outras doenças. As Operadoras de convênios médicos oferecem cobertura para doenças e lesões preexistentes tendo um prazo máximo de carência de 24 meses. Durante o período de 24 meses o usuário não terá atendimento para procedimentos de alta complexidade (procedimentos de alto custo) que tenha relação com doença.

O cliente deve sempre informar a existência de doenças preexistentes na declaração de saúde ou na entrevista qualificada, pois caso haja fraude, a operadora pode rescindir o contrato depois que ele for a julgamento na ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Caso o cliente já esteja em tratamento a Operadora continua com o tratamento, porém as despesas são todas do cliente. Estas doenças ficam sujeitas a carência para utilização chamada de COBERTURA PARCIAL TEMPORÁRIA.

Cobertura parcial temporária é a suspensão da cobertura de internação em leitos de alta tecnologia, cirurgias, procedimentos de alta complexidade, por prazo determinado. O Prazo geralmente é de 24 meses.
Após este período a cobertura passa a ser integral (total) para qualquer tipo de procedimento.

Agravo – O consumidor pode pular a Cobertura Parcial Temporária e utilizar o Agravo, que é um acréscimo muito alto no valor da mensalidade para não cumprir a Cobertura Parcial Temporária do convênio médico. Não havendo o agravo e decorridos 24 meses da contratação, fica proibida a exclusão de cobertura sob alegação de doenças preexistentes

Fechar Menu